Conecte-se com

O que pensa o vereador mais votado de Santa Maria da Vitória?

Política

O que pensa o vereador mais votado de Santa Maria da Vitória?

Entrevista com Petrônio de Paulão (PP), eleito para o primeiro mandato em Santa Maria da Vitória (BA) com 1.835 votos, 8,11% do eleitorado

Petrônio Campos (PP) assumirá, no próximo dia 1º de janeiro, pela primeira vez, o cargo de vereador. Ele é filho do vereador Paulão, que atualmente está licenciado do cargo para ocupar a função de Diretor da 17ª Ciretran. O jovem de 28 anos surpreendeu a todos ao ser eleito com 1.835 votos e se tornar o vereador mais bem votado da história política de Santa Maria da Vitória. A posição era ocupada por Tonho de Leonídio, que venceu as eleições em 2012 com 1.460 votos.

O novo vereador tem o desafio de desconstruir a imagem do “filho de Paulão” e assumir identidade própria na Câmara. Para saber o que ele pensa sobre a atuação do vereador, quais são as bandeiras que pretende defender na câmara e como será a relação com a comunidade, conversei com Petrônio e a entrevista está logo aqui embaixo, confira!

Foto: Rosa Tunes

Você não somente foi eleito, mas é o vereador mais votado da história política de Santa Maria da Vitória. O que você tem a dizer sobre isso?

Eu digo que foi um momento muito feliz da minha vida porque me deu a emoção de ser o vereador mais votado na primeira vez que disputei um cargo público. O sentimento que carrego é de dever cumprido e gratidão por cada pessoa que conversei durante a jornada de campanha que eu fiz, rodando os quatro cantos do município.

Por quê essa votação tão expressiva?

Todos sabem que eu obtive uma ajuda muito grande do meu pai, o vereador Paulão. Ele tem mais de 20 anos de atuação no município e gradativamente foi ampliando o número de votos. Por ser filho dele, muitas pessoas deram o voto de confiança a minha pessoa.

Atrelado a isso, tive o apoio de vários comerciantes, professores, irmãos da Maçonaria e da Ordem DeMolay, a juventude e todas as pessoas que acreditaram em mim. Essas pessoas deram deram um voto de confiança para um jovem sonhador que deseja o melhor para Santa Maria da Vitória.

Você acredita que a Juventude esteve com você?

Sem dúvida. Os jovens não só estiveram, mas estão comigo. Quando eu visitava as casas, os jovens falaram que eu representava a esperança deles em uma cidade melhor. Por onde eu passava, os jovens me pediam para lutar por eles na Câmara de Vereadores e é isso que vou fazer, dentre as demais funções que vou ter.

Petrônio ao lado do prefeito eleito Renatinho Leite e do vereador Paulão (pai) – Foto: Rosa Tunes

O fato das pessoas atribuíram que você só foi eleito por causa do seu pai não incomoda?

De forma alguma porque, na verdade, meu pai ajudou muito, mas eu tenho muito mérito na vitória. Ele deu uma contribuição e nós sabemos que em tudo existe complemento. Dessa forma, juntou a experiência dele na política com a minha juventude. Essa fórmula deu certo, basta ver a votação nas urnas. Eu penso que essa interligação conseguiu produzir um excelente resultado. Tanto é que têm outras histórias de ex-vereadores que lançaram seus filhos e não tiveram êxito. Para você ter uma ideia, meu pai teve 1.180 em 2012, e agora eu consegui 655 votos a mais. Tem muita gente que votou em mim e não votaria em meu pai, assim como tem muita gente que votava nele e não votou em mim. Não tem como medir isso.

Então, eu tenho meus méritos e o povo sabe disso. Meu pai fez a história dele e eu vou escrever a minha.

O seu pai vai interferir de alguma maneira no seu mandato de vereador?

Claro que não, de forma alguma. Ele estará sempre a minha disposição para ajudar com conselhos, mas o mandato de vereador será exercido por mim. Todas as decisões serão tomadas por mim, por quem de fato foi eleito nas urnas. Quem estará com a voz da situação e a caneta na mão será o vereador Petrônio.

Qual a avaliação que você faz da situação de Santa Maria e o que precisa ser feito para resolver os problemas da cidade?

Primeiramente, nossa cidade precisa de uma reconstrução urgente. Santa Maria, infelizmente, tem um prefeito com três contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios. Isso mostra que falta gestão e também entendemos que precisamos de uma Câmara Municipal atuante para organizar a casa, com ideias e propostas para melhorar o município e orientar o prefeito.

Eu acredito que o vereador tem que de estar lá para legislar, mas não para puxar saco de prefeito. Ele está lá para orientar o gestor a seguir o lado correto das coisas. Para mim, o que falta é um choque de realidade para colocar nossa Santa Maria no caminho do progresso e do desenvolvimento. Renatinho vai fazer isso.

O que pode ser feito para aumentar a participação popular nas decisões da Câmara?

Precisamos levar o povo para dentro daquela Casa. Só que isso, não depende só de mim, depende dos demais vereadores. Mas, eu afirmo que irei lutar para democratizar a comunicação com o povo. A população precisa saber o que está acontecendo para tirar as conclusões e também acompanhar o mandato do representante na Câmara. Uma das saídas e voltar com as transmissões das sessões nas rádios e a outra é mudar o horário das reuniões.

Você é do PP, partido do prefeito Renatinho. Qual será a sua postura na Câmara?

Na verdade, para ser mais claro, eu vou ser um vereador do povo. Como pretendo fazer isso? Eu quero ir até as comunidades e aos bairros para ouvir as pessoas e levar para Câmara as demandas sociais encontradas. Se o prefeito errar, eu tenho que tentar corrigir e fazer uma crítica construtiva, não de perseguição ou de de puxação de saco a prefeito nenhum. Até mesmo porque, fui eleito para representar a população e estarei ao lado do povo para exercer meu mandato de vereador com dignidade e respeito.

Algo a dizer que as denúncias envolvendo o Detran e a sua campanha?

Obrigado por fazer essa pergunta, quero mesmo falar sobre esse assunto para deixar tudo claro. Está na cara que isso é intriga de gente de coração ruim. Meu pai nunca me valorizou dentro do Detran, nunca me favoreceu em nada. Quem está propagando isso, nós vamos processar. Não existe nada disso. Meu pai falou na rádio que ele quer saber onde estão essas carteiras, que se alguém quiser denunciar que mostre a cara com provas.
%

Continuar lendo

Jornalista, santa-mariense e idealizador do Matutar com objetivo de debater assuntos que possam promover mudanças sociais na região da Bacia do Corrente. Idealista por natureza, curioso pela força da profissão e dono de um olhar sensível aos problemas sociais. Maurizan tem uma mente inquieta e está sempre a procura de novas historias para conhecer e contar.

Bora Matutar? Deixe seu comentário

Mais notícias sobre Política

Topo